facebook  

  linkedin  

  youtube  

 

Portuguese English Romanian
BE FIRST®

BE FIRST®

  BE FIRST®   Na GLOBAL CHANGE® Fluxphera, acreditamos que o desenvolvimento das  competências e a gestão da aprendizagem individual / coletiva...

Gestão de competências

Gestão de competências

  Gestão com base em Competências e Talentos   A "Gestão do Capital Humano com Foco nas Competências" é um processo de Aprendizagem...

Estratégia

Estratégia

  Estratégia     As empresas inovadoras não são apenas aquelas que estão invulgarmente qualificadas para produzir novos produtos comercialmente...

CompetencyCore 5®

CompetencyCore 5®

 CompetencyCore5   Em parceria com a HRSG (Canadá), detentora de mais de 25 anos de experiência em modelos de gestão de competências, integrada...

Tecnologia

Tecnologia

 Ferramentas de Consultoria

  • BE FIRST®

    BE FIRST®

  • Gestão de competências

    Gestão de competências

  • Estratégia

    Estratégia

  • CompetencyCore 5®

    CompetencyCore 5®

  • Tecnologia

    Tecnologia

Lançamento "Gamification - Transformar a Liderança num Jogo"

A sessão de lançamento do livro “Gamification - Transformar a Liderança num Jogo” de João Correia , editado pela Edições Vieira da Silva (http://www.edicoesvieiradasilva.pt/) decorreu no dia 17 de Março às 18:30 horas  na Biblioteca Camões no largo no Calhariz, nº 17, 1º dirt Lisboa. 
 
 
                            
 
 
                          
 
 
O livro procura apresentar a liderança como um dos fatores fundamentais para o sucesso das organizações, realçando sobretudo, o importante papel que esta exerce sobre a motivação humana no trabalho. E como as pessoas são um fator determinante em todas as organizações, sem as quais todos os demais sistemas não fariam sequer sentido, o livro pretende destacar a especial relevância que a motivação adquire na liderança.
 
Um cenário de envolvimento quase natural das pessoas é o de um jogo. Um bom jogo, bem estruturado, tem o poder de cativar os jogadores e de envolvê-los de tal forma que estes não se apercebem do tempo passar, ao mesmo tempo que se divertem.
 
É aqui que surge o conceito de “Gamification” como uma técnica que aplica características e mecânicas de jogos em contextos não lúdicos como a educação, a saúde, as empresas, a colaboração comunitária, entre outros, com a finalidade de cativar, comprometer e motivar pessoas a atingirem determinadas objetivos e a melhorarem resultados.
 
O conceito de “Gamification” faz parte dos jogos de tipo comportamental.
 

Este tipo de jogo pode ser definido como jogos que podem fazer qualquer atividade que facilita o comprometimento do jogador ao aplicar dinâmicas e mecânicas dos jogos a experiências cotidianas.

 
Como liderar com base nos elementos dos jogos?
 
Como utilizar os elementos dos jogos para desenvolver as competências de liderança?

Como motivar as pessoas e as equipas recorrendo aos componentes dos jogos?

 

São as três perguntas que o livro se propõe a responder.

Testemunhos Hospital Veterinário do Restelo

A melhor recompensa pelo trabalho que realizamos é o testemunho satisfeito dos nossos clientes.

O Hospital Veterinário do Restelo desenvolveu em conjunto com a GLOBAL CHANGE ® Fluxphera um projeto de Melhoria da Produtividade e da Qualidade com todas as suas equipas aplicando o método Be FIRST.

 


Lançamento do Livro "Gamification - Transformar a Liderança num Jogo"

 

Já não somos só BE FIRST! Venha descobrir o BE LEADER dia 17 de Março.

 

O livro procura apresentar a liderança como um dos fatores fundamentais para o sucesso das organizações, realçando sobretudo, o importante papel que esta exerce sobre a motivação humana no trabalho. E como as pessoas são um fator determinante em todas as organizações, sem as quais todos os demais sistemas não fariam sequer sentido, o livro pretende destacar a especial relevância que a motivação adquire na liderança.

 

Um cenário de envolvimento quase natural das pessoas é o de um jogo. Um bom jogo, bem estruturado, tem o poder de cativar os jogadores e de envolvê-los de tal forma que estes não se apercebem do tempo passar, ao mesmo tempo que se divertem.

 

É aqui que surge o conceito de “Gamification” como uma técnica que aplica características e mecânicas de jogos em contextos não lúdicos como a educação, a saúde, as empresas, a colaboração comunitária, entre outros, com a finalidade de cativar, comprometer e motivar pessoas a atingirem determinadas objetivos e a melhorarem resultados.

 

O conceito de “Gamification” faz parte dos jogos de tipo comportamental.

 

Este tipo de jogo pode ser definido como jogos que podem fazer qualquer atividade que facilita o comprometimento do jogador ao aplicar dinâmicas e mecânicas dos jogos a experiências cotidianas.

 

Como liderar com base nos elementos dos jogos?

Como utilizar os elementos dos jogos para desenvolver as competências de liderança?

Como motivar as pessoas e as equipas recorrendo aos componentes dos jogos?

 

São as três perguntas que o livro se propõe a responder.

Lançamento da iniciativa IBIS - INICIATIVA BEIRA INOVAÇÃO SOCIAL

 

 

Realizou-se no dia 04 de Maio na Covilhã, a reunião fundadora da IBIS - INICIATIVA BEIRA INOVAÇÃO SOCIAL com vista à implementação de uma estratégia integrada de Inovação Social para o eixo de desenvolvimento regional Guarda-Covilhã-Fundão-Castelo Branco e candidatura à "Iniciativa Portugal Inovação Social”.

 

 


O eixo de desenvolvimento da Beira Interior é assumido como fundamental na estruturação e amarração das políticas de desenvolvimento territorial do interior da Região Centro. Além de possuir capacidade de criação de conhecimento e de formação superior, tem uma forte representatividade de emprego em fileiras tradicionais e emergentes a que acresce, ainda, o potencial de crescimento e desenvolvimento de serviços, cuidados de saúde e cuidados seniores.

Constituído por núcleos urbanos que distam entre si apenas alguns minutos e polarizam as áreas envolventes de baixa densidade, podendo ser descrito por uma armadura urbana de nível regional constituída por Guarda, Covilhã e Castelo Branco, onde se concentram as funções de serviços de maior nível de especialização, diversidade e escala e uma constelação de pequenos centros. Com o aumento observado das actividades económicas e da população nos maiores aglomerados urbanos do território, estes tendem a expandir-se cada vez mais, acabando por englobar as áreas rurais adjacentes. Ao mesmo tempo, as zonas rurais e concelhos de menor dimensão passam por uma fase de despovoamento e um declínio na disponibilidade de serviços de base. À pressão urbana e aos efeitos do despovoamento associam-se a falta de alternativas de emprego, bem como outros fenómenos complexos indutores de exclusão social só possíveis de minimizar com o compromisso de todos os agentes envolvidos.

Promovida pela RU.DE, a parceria IBIS está aberta à participação das entidades públicas e privadas com intervenção social e impacto no território que a ela pretendam aderir, sendo composta por mais de 40 entidades fundadoras (autoridades locais, associações de desenvolvimento local, IPSS, universidade e politécnicos, centros de I&D, empresas, associações empresariais, entidades do sector financeiro, agrupamentos de escolas, escolas profissionais, misericórdias, entre outras), agregando instituições com competências e intervenção territorial complementares, motivadas para o trabalho em rede com o objectivo de ajuda à resolução de problemas sociais complexos na Região.

 

Desenvolvimento da "Estratégia Cova da Beira 2020"

 

A GLOBAL CHANGE® Fluxphera é a entidade consultora seleccionada para colaborar com a RU.DE Associação de Desenvolvimento Rural no desenvolvimento da Estratégia Cova da Beira 2020.

 

A estratégia Cova da Beira 2020 resulta de um processo participativo que contou com a colaboração dos agentes do território (107 parceiros). A exemplo de exercícios semelhantes levados a cabo a nível regional, também aqui se desenvolveu um processo de liderança colaborativa – dinamizado pela RU.DE ADR -, a assegurando uma dimensão multi-institucional e multissectorial.

 

Ao longo do ano de 2014 foram dinamizados eventos com objectivos distintos de balanço e discussão dos desafios que se colocam aos territórios rurais (seminário “Desafios para o Desenvolvimento Rural”), de reflexão sobre os problemas e as possíveis estratégicas a desenvolver em contexto rural e nas freguesias urbanas da Cova da Beira (oficinas de trabalho e sessões de reflexão estratégica), e sessões de apresentação de propostas com discussão e recolha de contributos dos parceiros e beneficiários. Foram ainda realizadas reuniões de auscultação junto dos parceiros e beneficiários LEADER e disponibilizada uma plataforma de partilha para recolha de contributos. Através da plataforma e por e-mail foram recebidas mais de 50 fichas com ideias de projetos e intenções de investimento.


Para mais informações sobre a Estratégia Cova da Beira 2020 ou sobre os nossos serviços de consultoria, contacte This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

"BE FIRST" nas "24 horas de GRH"

A GLOBAL CHANGE Fluxphera apoiou a realização das “24 Horas de GRH”, um evento formativo de excelência, de cariz intensivo e experiencial, com o objetivo de treinar, testar e desenvolver as competências comportamentais e técnicas, essenciais ao bom desempenho de qualquer profissional com funções na área de Recursos Humanos.

 

No evento, as equipas inscritas tiveram oportunidade de experimentar os produtos formativos baseados no método "Be First" desenvolvido pelo João Baltasar e que está na base do seu livro publicado em Dezembro passado.

 


Os programas "Be First", "First Leadership" e "First Selling" associam o entretenimento à aprendizagem, criando experiências lúdicas ao nível da melhoria da produtividade e qualidade do desempenho das pessoas e das equipas.

 

Para mais informações sobre o "Be First" não hesite em nos contactar através do e-mail This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

 

Identificação das competências para a cooperação e internacionalização nas empresas nacionais do setor TICE

 

 

No âmbito do Projecto Alvos Estratégicos (PAE) promovido pela INOVA-RIA Rede de Inovação de Aveiro, a VLM Consultores, SA e a GLOBAL CHANGE Fluxphera levaram a cabo um  trabalho que objetivou a identificação das competências existentes para a cooperação e internacionalização nas empresas nacionais do setor TICE - em particular dos associados da INOVA-RIA.

 

Para o efeito foi concebida uma metodologia de angariação, tratamento e análise de dados que possibilitaria uma forte interação com as empresas selecionadas do setor em momentos distintos e faseados. Neste contexto destaque para a realização de um inquérito para levantamento de informação quantitativa - cadastro - e informação qualitativa – questionário, bem como a caracterização de competências chave de colaboradores da empresa (realizado em plataforma on-line especifica, individualmente por cada colaborador previamente identificado). Estas ferramentas foram complementadas com a realização de entrevistas presenciais, com representante da gestão de topo das empresas, para revisão e validação das respostas angariadas e exploração de aspetos mais finos sobre o conhecimento da empresa e o seu contexto empresarial.

 

Ambicionando a criação de uma ferramenta útil de caracterização da situação atual e de posicionamento relativo nas dimensões críticas na perspetiva de cooperação e internacionalização do sector TICE nacional (na linha da metodologia do Innovation Scoring da COTEC, muito embora de âmbito e objetivo distinto), materializou-se o iNTERCOOP scoring que possibilitará eventual monitorização contínua por parte de cada empresa.

 

Pretendendo retribuir o contributo dado por cada empresa participante, paralelamente a esta publicação, é disponibilizado um relatório individual (confidencial) no qual constará, para efeitos de benchmark, o seu score iNTERCOOP e o seu posicionamento relativo no setor, bem como, o relatório de análise global às avaliações de perfis de competências TICE realizados por cada empresa.

 

Como principal constrangimento a relatar, a equipa destacou a dimensão da amostra alcançada na materialização das ferramentas. Esta, apesar dos esforços efetuados, não apresenta a relevância dimensional que manifestamente caracterizava a ambição e a importância do estudo. Todavia, foi possível deter uma variedade amostral relevante em termos geográficos, dimensionais e nas práticas, métodos e processos de cooperação e de internacionalização, o que qualifica os resultados alcançados como relevantes em função dos objetivos pretendidos.

 

Relativamente às elações que podemos inferir das análises efetuadas nas dimensões críticas para a cooperação interempresarial e/ou internacionalização, destacamos os seguintes aspetos:

 

  • na determinação de uma estratégia de internacionalização é muito reduzida a parcela de empresas do setor que assume como relevante a capacidade de articulação com a de alguns parceiros preferenciais;

     

  • maioritariamente, a liderança das empresas estudadas, centraliza em si os esforços de procura e concretização de oportunidades de internacionalização;

     

  • a generalidade das empresas reconhece como relevante a detenção de certificações/qualificações internacionalmente reconhecidas, negligenciando todavia a importância da proteção de propriedade intelectual;

     

  • maioritariamente as empresas afirmam adotar práticas com vista a detetar oportunidades no mercado externo, pese embora não detenham processos sistemáticos implementados para esse efeito;

     

  • a maioria da amostra inquirida considera que o processo de internacionalização tem um contributo determinante para o reforço de competências dos colaboradores, técnicas e comportamentais;

     

  • à semelhança das práticas de internacionalização, as empresas inquiridas consideram o recurso às práticas de cooperação relevante em termos de impacto nos resultados, considerando-as adicionalmente como um recurso importante para alavancar os processos de internacionalização.

 

Finalmente, no que concerne às avaliações de competências realizadas, importa destacar que as competências técnicas são as que apresentam uma maior aproximação ao referencial (sénior) do estudo. Por outro lado, as competências denominadas soft skills apresentam um maior afastamento em relação ao referido referencial, representando claramente uma oportunidade de melhoria, com influência potencialmente relevante ao nível da participação em redes de cooperação interempresarial para promoção da internacionalização, entre outras. Esta inferição poderá ser mitigada através da introdução de empresas de outros setores (fundamentalmente não tecnológicos, em que as soft skills evidenciem níveis de proficiência superiores) nas redes de cooperação interempresarial a criar, criando as ambicionadas “redes interempresariais sustentadas de base tecnológica”.

 

Para mais informações não hesite em nos contactar através do e-mail  This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

Lançamento do livro "BE FIRST" de João Baltasar foi a 4 de Dezembro

 

A sessão de lançamento do livro "BE FIRST" de João Baltasar (João Pedro Correia), editado pela Chiado (www.chiadoeditora.com) decorreu no dia 4 de Dezembro às 19:00h na livraria "Les Enfants Terribles" (cinema Nimas), na Avenida 5 de Outubro nº24 em Lisboa.

 

BE FIRST resulta da ligação de cinco competências diretamente associadas ao desenvolvimento pessoal: Flexibilidade; Improvisação; Risco; Stress e por último, as Tarefas que desempenhamos no nosso dia-a-dia. O livro aborda o conceito de aprendizagem expansiva para o desenvolvimento pessoal e contempla um conjunto de indicadores que possibilitam avaliar e aperfeiçoar cada uma das competências referidas integrando o conceito de "maxipok" que corresponde à sigla de "maximizar a probabilidade de um resultado OK" na vida das pessoas.

Como é que cada um de nós pode expandir os resultados que verdadeiramente deseja na sua vida e como podemos estimular o desafio de superar os nossos limites são os dois temas centrais desenvolvidos ao longo do livro. O autor sustenta toda a sua obra no conceito de expansão partindo da convicção que o mesmo está registado no subconsciente de todos nós, na nossa memória coletiva, assumindo-se como uma aspiração no nosso dia-a-dia em querermos aumentar, crescer, desenvolver tudo aquilo em que estamos envolvidos.

  

Os países, os mercados, as empresas, as organizações, o próprio universo é interpretado como estando em expansão. As crises são interpretadas como tal, quando há um sentimento generalizado que esse processo não está em curso, que estamos em contração. Expansão e contração traduzem a dinâmica e o movimento do nosso crescimento e da nossa realização tendo um reflexo determinante no modo como estruturamos a nossa vida.

 
Nesta obra João Baltasar pretende inspirar o leitor a expandir-se; a tornar-se amplo; a estender-se; a divulgar-se e a difundir-se.

 

 

Para mais informações não hesite em nos contactar através do e-mail  This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

PEDI - Plano Estratégico Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela


Foram iniciados no passado dia 15 de Junho, na Covilhã, numa conferência em que participaram os principais atores de desenvolvimento da região, os trabalhos preparatórios do desenho do Plano Estratégico de Desenvolvimento Intermunicipal das “Beiras e Serra da Estrela” (PEDI).

O Plano Estratégico de Desenvolvimento Intermunicipal (PEDI) decorre da conceptualização geral da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) e pretende constituir-se como um documento integrador dos projectos que os municípios de uma dada sub-região pretendam candidatar a fundos estruturais, superando a lógica puramente municipal, integrando a lógica intermunicipal.

 

 

O território abrangido respeita, no presente caso, a três NUT III – Beira Interior Norte, Cova da Beira e Serra da Estrela. Os objectivos principais de um PEDI prendem-se, por um lado, com a elaboração de um enquadramento alinhado com os princípios comunitários – no caso, com a Estratégia Europa 2020 e com a Agenda Territorial para 2020 – e com os requisites nacionais – no caso, o Novo Quadro Comunitário 2014-2020 – e, por outro lado, com a utilização desse enquadramento para a negociação do envelope para financiamento dos projectos.

 

Enquanto forma de planeamento colectivo e expressão da cooperação entre os municípios participantes, estes Planos são uma forma de imprimir maior racionalidade, coerência e articulação à realização de um conjunto de investimentos no território em causa, capazes de verter as orientações comunitárias e nacionais em matéria de política pública de desenvolvimento. Neste âmbito, o trabalho a desenvolver pela equipa constituída pela EY (Ernst & Young) em colaboração com a GLOBAL CHANGE Fluxphera compreende os seguintes três aspectos principais:

 

 

  • Diagnóstico: Elaboração do enquadramento estratégico das NUT III – Beira Interior Norte, Cova da Beira e Serra da Estrela nas suas diversas dimensões e dinâmicas (económica, social e territorial);
  • Estratégia: Construção e atualização da visão para a Região;
  • Plano de Ação: Elaboração do Plano de Ação da Região no âmbito do novo Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 e da Estratégia Europa 2020: Visão, Eixos, Medidas e Projectos;

 

 

A elaboração do PEDI do conjunto de 15 Municípios que fazem parte das Comunidades Intermunicipais das Beiras (Comurbeiras) e da Serra da Estrela (CIMSE) constituirá o ponto de partida para a negociação da CIM que resulta da fusão da CIM das Beiras e da CIM da Serra da Estrela com as autoridades competentes quanto ao envelope para financiamento dos respectivos projectos. Com efeito, é com base no referido PEDI que a sub-Região integrando a Beira Interior Norte, a Cova da Beira e Serra da Estrela poderá contratualizar com o Programa Operacional que vier a ser definido na arquitetura do Novo Quadro Comunitário 2014-2020 uma determinada dotação financeira.

 

Para mais informações não hesite em nos contactar através do e-mail This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

 

     

Partners

                 learning working group