Top

Blog

Lançamento da iniciativa IBIS – INICIATIVA BEIRA INOVAÇÃO SOCIAL

Realizou-se no dia 04 de Maio na Covilhã, a reunião fundadora da IBIS – INICIATIVA BEIRA INOVAÇÃO SOCIAL com vista à implementação de uma estratégia integrada de Inovação Social para o eixo de desenvolvimento regional Guarda-Covilhã-Fundão-Castelo Branco e candidatura à “Iniciativa Portugal Inovação Social”.

O eixo de desenvolvimento da Beira Interior é assumido como fundamental na estruturação e amarração das políticas de desenvolvimento territorial do interior da Região Centro. Além de possuir capacidade de criação de conhecimento e de formação superior, tem uma forte representatividade de emprego em fileiras tradicionais e emergentes a que acresce, ainda, o potencial de crescimento e desenvolvimento de serviços, cuidados de saúde e cuidados seniores.

Constituído por núcleos urbanos que distam entre si apenas alguns minutos e polarizam as áreas envolventes de baixa densidade, podendo ser descrito por uma armadura urbana de nível regional constituída por Guarda, Covilhã e Castelo Branco, onde se concentram as funções de serviços de maior nível de especialização, diversidade e escala e uma constelação de pequenos centros. Com o aumento observado das actividades económicas e da população nos maiores aglomerados urbanos do território, estes tendem a expandir-se cada vez mais, acabando por englobar as áreas rurais adjacentes. Ao mesmo tempo, as zonas rurais e concelhos de menor dimensão passam por uma fase de despovoamento e um declínio na disponibilidade de serviços de base. À pressão urbana e aos efeitos do despovoamento associam-se a falta de alternativas de emprego, bem como outros fenómenos complexos indutores de exclusão social só possíveis de minimizar com o compromisso de todos os agentes envolvidos.

Promovida pela R.U.D.E., a parceria IBIS está aberta à participação das entidades públicas e privadas com intervenção social e impacto no território que a ela pretendam aderir, sendo composta por mais de 40 entidades fundadoras (autoridades locais, associações de desenvolvimento local, IPSS, universidade e politécnicos, centros de I&D, empresas, associações empresariais, entidades do sector financeiro, agrupamentos de escolas, escolas profissionais, misericórdias, entre outras), agregando instituições com competências e intervenção territorial complementares, motivadas para o trabalho em rede com o objectivo de ajuda à resolução de problemas sociais complexos na Região.